Não Se Prepare Para Problemas!

Eu sei, isso vai ser polêmico e talvez você não queira mais ler o que eu escrevo só por causa disso, mas eu tinha que compartilhar essa minha experiência contigo e nada mais chamativo do que um título polêmico.

Acontece que o assunto é esse mesmo e é muito sério. Nesse artigo eu vou te contar como eu percebi que atraía problemas para a minha vida, simplesmente tentando me preparar para eles.

Pode parecer loucura ou até espiritual demais, mas o fato é que esse efeito existe e pode ser explicado pela ciência.

Fiquei presente para essa situação faz algum tempo, não sei precisar exatamente quanto, mas o que eu sei foi quanto tempo levou para eu conseguir me livrar disso. Se é que eu realmente já me livrei.

Hábito Perigoso

Todos nós passamos por percalços na vida, é natural. Mas o que nos diferencia como indivíduos e principalmente os nossos resultados é a forma como reagimos aos percalços.

É a velha história de que quem vence não é quem bate mais forte, mas sim, quem levanta mais vezes e nunca desiste.

Mas acontece que a forma como cada um assimila os golpes da vida varia em forma e intensidade e essa forma determina como seremos desse dia em diante. Pelo menos até descobrirmos o que vou te contar agora.

Depois de minha primeira empresa quebrar em 1996, eu comecei a pensar que poderia me preparar para os percalços da vida, simplesmente para não sofrer novamente o revés que eu havia sofrido na ocasião.

Acontece que esse pensamento implantou na minha mente um hábito muito perigoso. Esse hábito consistia em toda vez que eu percebia uma situação que tinha alguma possibilidade de dar errado, eu começava a planejar o que eu faria se acontecesse esse “algo errado”.

Eu acreditava que, planejando e visualizando as situações difíceis e as soluções que eu daria, eu estaria preparado para encarar qualquer outro revés da vida. Como se eu conseguisse ensaiar cada passo possível, para cada situação da vida.

Não preciso dizer como isso era extenuante, não é. Cerca de 99,9% das situações hipotéticas que eu criava de falhas na minha mente, não ocorriam, graças a Deus. Afinal, se apenas 10% tivesse ocorrido, eu não estaria aqui para contar isso.

Mas além de ser extenuante, um tremendo desperdício de energia e de tempo, me deixava numa condição muito perigosa. Eu estava constantemente preparado para enfrentar problemas e eles efetivamente ocorriam.

Quem Dera Fossem Os Mesmos

Acontece que os problemas que ocorriam na vida era, em vias de regra, muito diferentes daqueles que eu havia imaginado. Olha que eu imaginava era problema, hein?!

Só que eu não conseguia prever o futuro, por isso não conseguia prever exatamente o problema que ia ocorrer para traçar um plano de recuperação, antes que ele ocorresse.

Quem dera que os problemas que surgiam, fossem os mesmos para os quais eu já havia planejado uma solução! Claro que não eram, em sua maioria, mas acontecia algo muito peculiar que me mantinha percebendo esse hábito como produtivo.

Obra do Acaso

Algumas raras vezes, acontecia deu realmente estar preparado para uma situação difícil. No momento em que isso ocorria, eu me sentia poderoso e parecia que fazia todo sentido do mundo, eu me manter planejando as saídas para os problemas.

Era tudo que minha mente precisava para reforçar o hábito. Uma coincidência de fatos ou algo óbvio demais para passar despercebido a qualquer um, não importava, já bastava para reforçar o hábito de viver buscando me preparar para possíveis problemas futuros.

Foram anos e anos reforçando esse comportamento e modo de pensar. Eu já imaginava que isso fizesse parte da minha personalidade quando me deparei com algo que sacudiu o meu sistema de crenças e valores.

Aquilo Que Você Foca, Você Atrai

Quando comecei a estudar sobre desenvolvimento humano, me deparei com essa máxima, de que atraímos aquilo que mantemos no nosso foco.

No começo eu acreditava que isso fosse algo exotérico e não dava muita importância para isso. Depois eu comecei a ler estudos que reforçavam essa informação, com bases científicas e estatísticas.

Ainda assim, como se não quisesse ligar o nome à pessoa, eu permanecia com o mesmo hábito, de tentar me preparar para as dificuldades, sem me atentar para o fato de que eu poderia estar atraindo essas dificuldades para a minha vida com esse hábito.

Somente depois de vários meses de estudos e de ter acontecido comigo, um fato que comprovava literalmente, que eu estava atraindo um certo tipo de problema para mim com esse comportamento, eu percebi o quanto esse hábito era perigoso e me atrapalhava enormemente.

>> Clique AQUI e descubra como eu atraia um problema com esse hábito <<

Quando eu pus à prova a teoria e consegui me livrar de um baita problema que eu tinha (vide artigo no link acima), eu percebi que esse era um hábito do qual eu deveria me livrar.

Não Era Da Minha Personalidade

A primeira coisa que percebi, quando consegui identificar problema nesse hábito, foi que não fazia parte da minha personalidade, como eu acreditava antes. Eu poderia mudar esse hábito, e precisava fazê-lo.

Outra coisa que percebi foi que, apesar de ter treinado e reforçado esse hábito por décadas, não seria necessário ficar décadas retreinando a minha mente para operar de forma diferente.

As mudanças de mentalidade, quando devidamente planejadas, acontecem rapidamente, em questão de semanas ou meses, mas exigem comprometimento. Como dizem é simples, mas não é necessariamente fácil.

A terceira e mais importante coisa que percebi foi que não adiantava simplesmente resistir ao hábito. Quando resistimos a algum pensamento, acabamos reforçando ele em nossas mentes.

Era necessário substituir esse hábito, por outro mais inteligente e que trabalhasse a meu favor ao invés de trabalhar contra mim.

Eu tive que superar esse desafio e continuo agindo para isso, mas precisei de um plano, por incrível que pareça. E deixo essa dica para você que por ventura se identificou comigo nesse artigo.

Caso você tenha algum hábito que te prejudica, trace um plano para substituí-lo por outro que te auxilie. Não resista a ele simplesmente, pois irá fazê-lo mais forte.

Em outra ocasião eu posso te contar como foi que eu fiz para começar a trocar esse hábito, mas por ora eu queria mesmo é saber a sua opinião a respeito desse artigo.

Deixe um comentário abaixo me dizendo se você tem algum hábito que te atrapalha e se deseja substituí-lo.

Um abraço,
Felipe Baqui

Felipe Baqui

Felipe Baqui é analista de sistemas, advanced coach, especialista em desenvolvimento pessoal, tecnologia e marketing digital. Enfrentou aos 22 anos, a falência traumática de sua empresa. 10 anos depois começou um processo de autoconhecimento que possibilitou que hoje ele trabalhasse ajudando pessoas em processos de superação de grandes problemas.

Website: https://felipebaqui.com.br

6 Comentários

  1. Eliane Maria de souza

    Sim, bastante interessante e real. Me identifico sim c/esse problema e faz todo o sentido o que disse.

    • Nossa Eliane, tenho recebido emails de pessoas que se identificaram com esse meu hábito. Confesso que pensei que haveria poucas pessoas assim, mas vejo agora que esse é um hábito relativamente comum. Obrigado por compartilhar a sua opinião. Isso me faz perceber que temos que continuar nos desenvolvendo para substituir essas programações mentais que tanto nos atrapalham, por outras que nos ajudem. Um grande abraço.

  2. Theo Bolsoni

    Tenho esse problema, só q costumo tentar resolve-lo antes de acontecer

    • Pois é Theo. É justamente isso que acaba com nossa energia e acaba também atraindo mais e mais dificuldades para nossas vidas. Quem sabe uma mudança não te fizesse bem. Obrigado por seu comentário. Um abraço…

  3. Valteir Melgaço

    Caro Felipe, tenho lido seus artigos e visto seus vídeos. Gosto muito e tenho tirado muito proveito. Parabéns pelo excelente trabalho! Sou um procrastinador assumido. E todos meus problemas ou desafios que tenho hoje são frutos do hábito de procrastinar. Como vencer o hábito da procrastinação?

    • Olá Valteir! Obrigado pela participação e pelo elogio. A procrastinação é um sintoma que indica que você acredita que o que você tem que realizar, não vai valer o esforço empregado. É resultado de uma programação mental que permite que economizemos energia, mas que nos dias de hoje atrapalha muito na realização de nossos sonhos.
      Procure dividir seus objetivos em metas menores e essa metas em tarefas menores, até que a próxima tarefa a realizar seja tão pequena, que não exija praticamente nenhum esforço para ser cumprida. Recompense-se e comemore cada vez que concluir uma etapa, isso passa para a mente a ideia de que fazer aquilo valeu a pena. Isso te colocará em movimento e o movimento vai gerar a inércia necessária para você seguir em frente e superar a procrastinação. Continue acompanhando o conteúdo do blog, pois costumo postar muito conteúdo a respeito. Espero ter ajudado.
      Um Abraço.
      Felipe Baqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *